PRÉ-INSCRIÇÃO

Tens dúvidas?

Liga 278 201 010 / 939 042 002

(*) preenchimento obrigatório

 

 

Contactos

278 201 010 / 939 042 002

geral@epacarvalhais.com

Apartado 70, 5370-081 Carvalhais

 

Pedido de informação

Hortas Sociais

A Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Carvalhais e a Câmara de Mirandela entregaram 28 talhões destinados a hortas sociais. Estes cerca de cinco mil metros quadrados de terrenos agrícolas, públicos e pertencem à Escola de Agricultura vão ajudar as famílias a ter um meio de subsistência. “Esta já foi a zona que produziu mais hortícolas na região. Este projecto vai garantir às famílias algum equilíbrio financeiro, aproveitando terrenos públicos”, explicou o presidente da Câmara de Mirandela, António Branco.

O projecto, que foi um dos vencedores do programa EDP Solidária Barragens 2011, é ainda promovido pela Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Carvalhais e Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Mirandela.

“Trás-os-Montes pode dar um bom exemplo ao País de como a fome em Portugal não se ataca distribuindo alimentos por quem precisa, mas, sobretudo, pondo as pessoas a fazer a sua própria actividade e de preferência transformar isso numa actividade económica que permita também ter rendimento”, explicou Sérgio Figueiredo, da Fundação EDP.

Criado em 2009, o programa já investiu mais de 500 mil euros em projectos emblemáticos pelo seu carácter inovador, pela procura em projectos emblemáticos pelo seu carácter inovador, pela procura de sustentabilidade financeira e ainda pelo impacto social gerado.

Além do combate a carências sociais, a EPA (Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Carvalhais) garante ainda a formação dos novos agricultores. Para o director da escola, Manuel Taveira, “esta ideia também pode ajudar os jovens e os pais a perceberem que podem enveredar por esta via de ensino, em seu entender mais vantajosa para o futuro”, refere.

Armando Pereira, desempregado, Eduardo Batista, trabalhador sazonal, e Marlene Moreira, trabalhadora em parte-time, fazem parte de três das 28 famílias a quem foram entregues hortas sociais. “Vamos plantar um pouquinho de tudo, batatas, feijões, cebola, alface, alho francês, e assim vamos certamente poupar algum dinheiro até porque o facto de ter que vir para aqui faz com que não ande tanto nos cafés”, refere um dos contemplados. “Tenho dois filhos pequenos e está é uma ajuda para a alimentação” refere Marlene Moreira.

Para além dos 28 talhões entregues às famílias, há ainda outros dois que foram entregues à EPA funcionando como um campo pedagógico para os estudantes, e à APPACDM que vai produzir muito daquilo que os seus próprios beneficiários consomem nas suas refeições e que também servirá para a integração social dos utentes.

A Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Carvalhais/Mirandela é cofinanciada por:
Saltar para a barra de ferramentas